Make your own free website on Tripod.com

Curso  de  Fisiopatologia  Aplicada  2003 

Breve História do Curso de Fisiopatologia Aplicada

O Curso de Fisiopatologia Aplicada vem sendo oferecido desde 1987, e sempre aperfeiçoado. 

 

Dentre os seus vários objetivos o Curso se propõe ampliar e consolidar o universo de conhecimentos relativo aos mecanismos de doença, dos sinais e sintomas, e da história evolutiva das doenças mais comuns em nosso meio.

 

A partir de 2001, passa a ser oferecido pela Universidade Federal da Bahia, e por isso está agora disponível oficialmente para acadêmicos de outros cursos além do curso de Medicina. 

 

Até então era constrangedor não poder aceitar alunos de outras Profissões da Área da saúde, tendo em vista a noção de que não é mais possível oferecer assistência à saúde de qualidade de modo individual e sim na forma de Equipes Multidisciplinares de Profissionais da Saúde.

 

O Curso foi totalmente revisado, ampliado e adaptado às necessidades do novo milênio. 

 

Passa a utilizar amplamente as inovadoras estratégias de ensino possíveis após a informatização, com atividades regulares via internet, aqui incluídos o site didático, suporte via e-mail, aulas on line, testes e provas eletrônicas, dentre outros.

 

O exclusivo método didático, que se baseia no PBL (problem-oriented learning, ou aprendizado orientado por problemas), hoje na moda, vem sendo empregado por nós desde a primeira edição do curso em 1987. 

 

O método foi aperfeiçoado e adaptado á realidade brasileira. Os resultados foram excepcionais. Muitos de nossos ex-alunos ocupam postos de relevância em Hospitais, Centros de Pesquisa e Universidades do país (e pelo menos 2 lograram êxito em instituições estrangeiras). Isso indica que temos conseguido atrair os melhores alunos a cada curso. 

 

A Função do Curso de Fisiopatologia Aplicada

O Curso de Fisiopatologia Aplicada desempenha o papel de estudar em detalhes os aspectos biofísicos, bioquímicos e fisiológicos presentes nos portadores das condições clínicas mais freqüentes em nosso meio. Nesse aspecto, preenche importante lacuna, uma vez que o estudo sistemático de Fisiopatologia não faz parte da estrutura curricular de nossas faculdades.

 

A programação desta versão foi baseada não apenas na sua importância dentro do contexto da formação médica, mas também pela sua importância como uma oportunidade para uma discussão crítica do método científico e dos paradigmas atuais, sempre numa perspectiva histórica.

 

A décima oitava versão do Curso de Fisiopatologia Aplicada surge 16 anos após a primeira. 

 

O montante de informações científicas úteis à Prática Médica duplica, no mínimo, a cada 6 anos; logo, o montante de novos dados disponíveis quadruplicaram nesse período. 

 

A despeito disso, o Curso tem se mantido atualizado todos esses anos. 

 

Diante do vertiginoso ritmo de aquisição de conhecimento científico útil à Medicina, manter o Curso de Fisiopatologia Aplicada atualizado todos esses anos tem sido tarefa difícil, porém muito gratificante.

 

O curso de Fisiopatologia Aplicada visa não apenas transmitir o conhecimento útil, mas também busca preparar o indivíduo para que ele possa continuar adquirindo novos conhecimentos durante toda sua vida, para que se capacite a compreender corretamente todos os problemas conforme se apresentem e os resolva com acerto. 

 

O Curso é também útil aos que desejam reciclar seus conhecimentos, após a conclusão da Graduação; o estudo da Medicina dura toda a vida, pois ela está em contínuo e evolução.

Um curso com estas características precisa necessariamente manter um equilíbrio entre exigências bastante diversas. 

 

Levando em consideração um plano de Estudos equilibrado, foi feita uma criteriosa seleção dos temas, omitindo todo o conhecimento supérfluo. 

 

É melhor compreender com clareza algumas regras fundamentais que ter um conhecimento de um grande número de fatos.

 

Fisiopatologia: Os limites da Ciência

Houve época em que o conhecimento médico exato era o da Anatomia; depois, tivemos a era da Anatomia Patológica. A seguir, os conhecimentos da Microbiologia e da Parasitologia adquiriram predomínio. 

 

Atualmente, estamos em plena era da Fisiologia Patológica, ou dos mecanismos das doenças (Fisiopatologia).

 

A Fisiopatologia é o ramo da Ciência Natural que estuda as causas e os mecanismos das doenças, explicando a origem dos sinais e dos sintomas característicos de cada doença, bem como sua história natural. 

 

Difere da Patologia pelo fato de que essa se preocupa mais com a Anatomia Patológica do que com a Fisiologia Patológica. A Anatomia estuda a forma normal; a fisiologia estuda a função normal. 

 

A Anatomia Patológica estuda as alterações morfológicas que caracterizam as doenças; a Fisiopatologia se ocupa com o funcionamento alterado de órgãos e sistemas na vigência de uma doença.

O Criador da doutrina foi Rudolf Virchow, que dizia :"Doença é vida sob condições alteradas".

Desde os primeiros momentos da Civilização Humana, as Doenças têm despertado intenso interesse. 

 

Empirismo misturado com misticismo criaram o conceito subterrâneo da doença como uma coisa viva que existe de modo independente no corpo de sua vítima. 

Câncer ("escorpião") e Lúpus (Lobo) são doenças cujo nomes refletem vestígios desse modo de pensar.

A integração de conhecimentos que permitem entender a lesão estrutural induzida pelo funcionamento anormal somente é alcançada numa ciência a fisiopatologia. 

 

A Anatomia patológica é oriunda da Anatomia e da Histologia; emprega inclusive. Os mesmos métodos descritivos e a microscopia. 

 

A patologia morfológica (Anatomia Patológica) compara a anatomia normal com a alterada, buscando correlacionar as diferentes lesões com os estados anormais. A Abordagem Fisiopatológica busca correlação entre a forma e a função.

 

O funcionamento aberrante induz mudanças estruturais perfeitamente compreensivas enquanto processo. 

 

A maioria das doenças se manifesta por alterações tanto na forma quanto na função. 

 

Quando as coisas se passam assim , a correlação entre forma anormal, sintomas e sinais (morbidade)e mortalidade podem ser feitas com facilidade. 

 

Entretanto, quando apenas a função está alterada (como na maioria das arritmias cardíacas, por exemplo ).pode não ser encontrado qualquer subsídio anatomopatológico; nesse caso , a Fisiopatologia reina soberana.

 

A Anatomia patológica se prende à constatação e reconhecimento macro e microscópico das lesões características de cada doença – é sobretudo uma disciplina de "laboratório". 

 

Ao contrário, a Fisiopatologia pertence ao mundo da investigações e da atenção clínica. Os maiores avanços amealhados nas últimas décadas no entendimento mais adequado da Medicina Moderna foram obtidos em conseqüência do amplo desenvolvimento Fisiopatologia.

 

A atitude mental necessária ao bom atendimento à saúde alcançada hoje em dia requer do médico vasta compreensão de Fisiopatologia , muito mais do que fora necessário no passado.

 

A Anatomia Patológica é uma disciplina pré-clínica, devotada a escrever com exatidão e interpretar adequadamente as alterações estruturais observadas nas doenças – quando elas ocorrem; doenças meramente funcionais, como arritmias, por exemplo, podem não ter qualquer alteração estrutural associada, fugindo do escopo da patologia. 

 

Entretanto, a fisiopatologia engloba todos os aspectos da doenças, pois é um disciplina clínica, que lida com os doentes e com os métodos clínicos de diagnosticar, tratar e prevenir as doenças.

 

A Medicina hoje é dominada pela alta tecnologia . 

 

Aprender novas tecnologias implica descartar conhecimentos básicos inútil e substituí-lo por conhecimento avançado.

 

Seja qual for o ramo da medicina que você escolha para carreira definitiva, terá que tomar decisões importante que exigirão uma compreensão total do que está fazendo.

 

          Retornar à Página Anterior              Vá para a Próxima Página