Make your own free website on Tripod.com

Anatomia   Macro  e  Microscópica  do  Sistema  Respiratório

Configuração global do tórax e de seu conteúdo

 

Os pulmões são cercados pela parede do tórax em todos os lados e inferiormente pelo diafragma. A função de troca gasosa dos pulmões é profundamente afetada pelas propriedades mecânicas da parede do tórax e do diafragma.

 

O movimento dos pulmões dentro da cavidade torácica durante uma inspiração é facilitado pela espaço pleural, criado pela justaposição da superfície interna da parede do tórax, a pleura parietal, e a superfície exterior do pulmão, a pleura visceral. Um delgado filme de fluido separa os folhetos pleurais parietal e visceral, funcionando como um lubrificante. O mecanismo preciso para a formação do fluido pleural permanece desconhecida. Remoção do fluido depende, em parte, no sistema linfático pulmonar.

 

 

 

Níveis de Organização Intra-Pulmonar

O pulmão é composto de várias unidades estruturais e funcionais de tamanho variado, mas sempre de tamanhos decrescentes. Começando pela unidade de maior tamanho, unidades cada vez menores são construídas pelas ramificação seriada, de modo que são obtidos os ácinos pulmonares.

 

Cada unidade, independente de seu tamanho, é suprida por uma parte da árvore brônquica com seus vasos sangüíneos, linfáticos e nervos acompanhantes.

 

A maior unidade estrutural do pulmão é o lobo e ele é composto de dois ou mais segmentos bronco-pulmonares. O segmento broncopulmonar foi definido como uma parte relativamente grande de pulmão que é ventilado por um brônquio emitido de um brônquio lobar. É, portanto, uma subdivisão de um lobo.

 

Os segmentos são normalmente separados um do outro por planos de tecidos conjuntivo, denominados septos intersegmentares, que se estendem para dentro do tecido pulmonar da pleura.

 

Cada segmento pulmonar é formado por vários lóbulos pulmonares. O conceito original de lóbulo pulmonar foi o de que ele era uma parte grosseiramente piramidal de tecido pulmonar cuja base subpleural está delineada na superfície do pulmão pelos septos interlobulares, formados por tecido conjuntivo, que se estendem para dentro do pulmão e separam lóbulos adjacentes um do outro.

 

Assim, a partir da traquéia, surgem várias gerações de brônquios que após uma seqüência definida de ramificações, vão terminar em unidades terminais de troca gasosa, os ácinos pulmonares.

 

O ácino é a região anatômica do pulmão onde efetivamente ocorrem as trocas gasosas; por isso, é conhecida também como unidade respiratória terminal. Cada lóbulo é formado por vários ácinos. Cada ácino corresponde a um lóbulo primário. O lóbulo que se projeta sobre a superfície pulmonar é hoje chamado lóbulo secundário.

 

 

 

Os Lobos Pulmonares

Um lobo pulmonar é uma porção de pulmão coberta em toda sua superfície por pleura e ventilada por um brônquio principal ou seu equivalente aerodinâmico.

 

O pulmão direito está formado por três lobos: superior, médio e inferior, cada um dos quais suprido por uma divisão do brônquio fonte direito. Na verdade, o brônquio do lobo inferior é uma continuação linear da traquéia. O pulmão esquerdo está dividido em dois lobos: superior e inferior, geralmente separado pela língula.

 

A língula é uma estrutura análoga ao lobo médio do pulmão direito, sendo ventilada pelo brônquio da língula (que é uma divisão inferior do brônquio lobar superior).

 

           Página Anterior                       Próxima Página                     Índice Diabetes Mellitus