Make your own free website on Tripod.com

Mecânica  Respiratória:  Pressões  do  Sistema

[1] Pressão Transdiafragmática

 

A atividade da musculatura respiratória resulta em ventilação, produzindo uma mudança de conformacional na parede do tórax.

 

Especificamente, durante inspiração quieta, a descida do diafragma (aplainando sua cúpula) causa abaixamento do arco costal para aumentar o diâmetro torácico transversal e anteroposteriormente.

 

Como resultado, a pressão intratorácica cai (fica mais negativa) e o pulmão se expande à medida em que ar entra na cavidade de torácica a favor do gradiente de pressão negativo criado.

 

À medida em que a pressão intratorácica cai, a pressão abdominal sobe, porque o movimento descendente do diafragma comprime os conteúdos abdominais. A Pressão Intratorácica é normalmente medida como pressão pleural.

 

Pressão transdiafragmática, diferença entre pressão abdominal e pressão pleural, é calculada como:

Pdi = Pab - Ppl

onde

Pdi = Pressão Transdiafragmática

Pab = Pressão Abdominal

Ppl = Pressão Pleural

A geração de uma pressão transdiafragmática positiva indica contração ativa do diafragma.

Quando o diafragma paralisou ou cansou, pode passar para cima, para a cavidade do tórax, durante a inspiração, quando os outros músculos inspiratórios se contraem e criam uma pressão intratorácica negativa. Por conseguinte, a pressão transdiafragmática cai a zero.

 

A medida da pressão transdiafragmática é o modo mais definitivo de se diagnosticar paralisia bilateral do diafragma. Paralisia do diafragma pode surgir de várias desordens, inclusive doença da medula ou lesão de núcleo frênico, infecção desmielinizante de nervos periféricos (por exemplo, síndrome de Guillain-Barré), doenças da junção de neuromuscular (por exemplo, miastenia gravis), ou doenças primárias de músculo (por exemplo, distrofia muscular). Uma baixa pressão transdiafragmatica é típica do diafragma em fadiga.

Sob condições basais, o diafragma (e os outros músculos respiratórios) consomem menos que 5% do consumo total de oxigênio do corpo.

 

Quando existem exigências de ventilação altas (por exemplo, durante exercício ou na pneumonia em um paciente com enfisema), as exigências de oxigênio dos músculos respiratórios representam um componente significativo do consumo de oxigênio global. A demanda excessiva de oxigênio pode resultar em fadiga de músculo respiratório. Isto pode ser evidenciado como uma freqüência respiratória aumentada, pelo movimento paradoxal tórax-abdome e, eventualmente, uma elevação na tensão de gás carbônico arterial (PaCO2).

 

O movimento paradoxal do diafragma e da parede abdominal corresponde à movimentação para dentro da parede abdominal anterior durante inspiração, quando o diafragma é puxado para cima, na cavidade do tórax, pela pressão negativa gerada pelos músculos inspiratórios que ainda não estão em fadiga,

 

Outras Pressões

Pressão na Abertura das Vias Aéreas

Pao é a pressão na abertura da via aérea (a boca, as narinas). Sob circunstâncias normais, quando nenhuma corrente de ar está presente (no fim da inspiração e no fim da expiração) com a via aérea aberta à atmosfera, Pao é zero.

 

Pressão de Superfície

Pbs é a pressão na superfície de corpo, normalmente atmosférica.

 

 

Pressão Pleural

Ppl é a pressão pleural, quer dizer, a pressão dentro do espaço pleural. Sua magnitude depende das intensidades e direções das forças geradas pelo parênquima pulmonar elástico e parede do tórax.

 

Pressão de Retração Pulmonar

A pressão criada pelo parênquima pulmonar elástico é dirigida para dentro, e é chamada pressão de retração elástica, Pel.

 

Pressão Alveolar

Pressão alveolar, Palv, é a pressão dentro de alvéolos. Pode ser negativa (durante inspiração), positiva (durante a expiração), ou nula (ao fim da inspiração e da expiração), quando não há nenhuma corrente de ar e a glote está aberta para a atmosfera. A pressão alveolar é a soma da pressão de recuo (retração) elástica e da pressão de pleural:

Palv = PRE + Ppl

 

Pressão Transpulmonar

Ppl é a diferença entre as pressões alveolar e pleural (Pi = Palv - Ppl).

 

Pressão através da parede torácica

Pw é a pressão do lado externo da parede do tórax, quer dizer, a diferença entre pressão pleural e superfície do corpo (Pw = Ppl - Pbs).

 

Pressão Transtorácica

Prs é a pressão transtorácica, a pressão sobre o sistema respiratório inteiro. Representa a diferença entre pressão alveolar e a pressão na superfície de corpo (Prs = Palv - Pbs).

 

 

A Equação do Movimento

Quando a musculatura inspiratória contrai, um gradiente de pressão é criado entre atmosfera e alvéolos, e isso resulta em fluxo de ar.

 

O gradiente de pressão supera:

(1) o recuo elástico do sistema respiratório,

(2) a resistência de friccional para fluir nas vias aéreas, e

 (3) a resistência inercial da coluna de ar da árvore traqueobrônquica, pulmão e da parede do tórax.

 

Estas três condições são expressas na equação de movimento aplicada ao pulmão:

Ptot = (E . DV) + (R . V) + (I . V)

onde

Ptot = pressão motriz

E = elastância

DV = variação do volume pulmonar

R = resistência

V = fluxo de ar

I = inertância

V = taxa de mudança de fluxo da corrente de ar (aceleração)

O primeiro termo, (E.DV), representa a pressão necessária para superar o recuo elástico do sistema respiratório.

 

            Página Anterior                       Próxima Página                     Índice Diabetes Mellitus