Make your own free website on Tripod.com

Anatomia   Macro  e  Microscópica  do  Sistema  Respiratório

Pleuras

 

A pleura é uma delgada túnica serosa, brilhante e escorregadia, que está disposta na forma de dois sacos denominados de sacos pleurais. Cada saco é invaginado em sua superfície mediastinal por um pulmão, de modo que praticamente toda a superfície do pulmão, incluindo as fissuras interlobares, está intimamente revestida pela pleura.

 

O termo pleura pulmonar ou visceral descreve a porção que reveste os pulmões; o termo pleura parietal refere-se à porção que forma o resto do saco pleural.

 

O espaço entre as pleuras parietal e visceral forma a cavidade ou espaço pleural. Normalmente, tudo que a cavidade pleural contém é uma película de fluido seroso de espessura capilar. Esta fina película permite que as pleuras parietal e visceral deslizem facilmente uma contra a outra durante os movimentos respiratórios.

 

A pleura parietal é subdividida, de acordo com a região da cavidade torácica com a qual se relaciona, em pleura costal, pleura diafragmática e pleura mediastinal.

 

A parte relacionada com o saco pericárdico é a pleura pericárdica. Superiormente, a pleura parietal forma uma bolsa cega que se estende até o ápice torácico e para dentro da região cervical (pescoço). Esta bolsa cega forma o que é conhecido como a pleura cervical (ou cúpula da pleura).

 

Próximo das inserções costais do diafragma, a pleura costal reflete sobre a fáscia frenicopleural que cobre o diafragma e torna-se a seguir a pleura diafragmática. A linha ao longo da qual esta reflexão ocorre é chamada como a linha diafragmática de reflexão pleural.

 

A linha diafragmática de reflexão pleural indica a divisão funcional e anatômica com a cavidade abdominal. A parte da cavidade pleural dentro do ângulo agudo formado por esta reflexão é denominada de recesso costo-diafragmático. A pleura mediastinal está relacionada ao mediastino. Ela é formada pelas reflexões da pleura costal ao nível da coluna vertebral e do esterno e pelas reflexões da pleura diafragmática.

 

A pleura mediastinal está refletida sobre a superfície do pulmão e continua com a pleura pulmonar. Esta dobra constitui o que se convencionou chamar de "o ligamento pulmonar".

 

 

 

Estrutura Histológica das Pleuras

 

A pleura é uma túnica serosa e, com tal, consiste de mesotélio situado numa fina lâmina de tecido conjuntivo, a lâmina própria. A lâmina de tecido conjuntivo consiste de feixes colágenos entrelaçados e planos, misturados com uma malha de tecido elástico, uma disposição que fornece a elasticidade que é obviamente necessária na pleura, já que ela deve expandir com a inspiração e diminuir sua superfície na expiração.

 

O suprimento sangüíneo para a pleura parietal é derivado essencialmente dos vasos intercostais, dos vasos torácicos internos e dos vasos frênicos.

 

Os vasos linfáticos drenam essencialmente para os nódulos hilares, embora alguma drenagem ocorra para dentro de nódulos linfáticos abdominais e adjacentes ao diafragma.

 

 

 

Inervação das Pleuras

 

A pleura costal e as partes periféricas da pleura diafragmática são supridas pelas fibras sensoriais dos nervos espinhais torácicos. A pleura mediastinal e as partes centrais da pleura diafragmática são supridas por fibras nervosas sensoriais do nervo frênico. A pleura pulmonar (visceral) é insensível. A pleura parietal é muito sensível.

 

A irritação da pleura costal produz dor localizada. A irritação da pleura diafragmática, suprida pelos nervos espinhais, causa dor difusa nas áreas lombar ou abdominal. A irritação das regiões diafragmáticas supridas pelo frênico produz dor referida na região do pescoço ou ombro.

 

           Página Anterior                       Próxima Página                     Índice Diabetes Mellitus